Com o avanço da tecnologia e o advento da impressão 3D, que atualmente vem sendo comentada pelo grande leque de possibilidades de aplicação, pode-se agora sonhar em ter uma casa impressa e estar morando em pouquíssimo tempo. A Startup Apis Cor, de São Francisco na Califórnia, e a incorporadora russa PIK, desenvolveram a primeira casa habitável impressa com a tecnologia de impressão 3D, localizada em Stupino, na Rússia.

 

“Agora podemos dizer com confiança que com a solução da Apis Cor, a construção com impressão 3D saltou para um novo estágio evolutivo”, comentou a equipe de projeto. “A empresa e seus parceiros estão confiantes de que a casa em Stupino foi o primeiro passo que pode convencer o mundo de que a tecnologia 3D no mercado de construção é uma realidade”.

 

A casa foi construída em apenas um dia, utilizando a tecnologia de impressão 3D combinada com uma unidade automática de mistura de material, desenvolvida pela Apis Cor. Este projeto demonstra a flexibilidade do equipamento e diversidade de formas disponíveis e, na construção, a impressora com aparência de guindaste construiu todas as paredes internas e externas com uma mistura de concreto.

O projeto conta com 38 metros quadrados construídos, contendo um hall, um banheiro, uma sala de estar, uma cozinha e dois quartos. Embora a cobertura seja plana, é projetada para resistir ao peso da neve, através de reforços de membrana de polímero, unidos usando ar quente.

A construção da casa foi executada no extremo inverno da Rússia, mesmo que a mistura de concreto da impressora exija uma temperatura acima de 5°C, sendo um grande desafio na execução da obra. Isolamentos, acabamentos, instalações prediais e esquadrias foram instalados após a finalização da impressão da estrutura principal.

Um aspecto importante a ser comentado é o custo-benefício, que custou um total de US$ 10.134,00, portanto, o metro quadrado da construção custando aproximadamente US$ 275,00. Segundo a empresa, esta tecnologia de impressão 3D resultou em uma economia de até 70% comparada às técnicas tradicionais de construção.

Como disse a Apis Cor, “Como se pode ver, com o advento dessa nova tecnologia a construção com impressão 3D está mudando a visão e a abordagem para a construção de prédios baixos e oferece novas oportunidades para implementar soluções arquitetônicas personalizadas.”

A partir deste projeto pode-se refletir sobre o modo sustentável de construir, aplicando novas tecnologias na construção e buscando inovações, com o objetivo de usar menos um sistema tradicional e arcaico de construção.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Reportagem via Apis Cor: < http://apis-cor.com/en/about/news/first-house > acesso em 08 de abril de 2017.

 

Link vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=xktwDfasPGQ

Ângliston Camilotti

Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Paulista de Ribeirão Preto, estagiando em construtora desde o primeiro ano da graduação. Atualmente visa o ingresso na pós graduação no Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP de São Carlos, na área de inovação tecnológica, sustentabilidade e conforto ambiental no ambiente construído.

Mais posts - Site

Acompanhe:
FacebookLinkedIn